Machismo

Eu sei, eu sei que passei um tempao sem escrever. Mas tem acontecido tanta coisa que nao sei escolher sobre o que vou escrever…

Resolvi falar aobre uma coisa que sempre acontece comigo: ser alvo de machismo.

Sim, sempre acontece comigo. Nao importa o trabalho, nao importa o motivo e sempre vem de alguem de quem eu nao espero.

Eu sempre fui timida. Pessoa introvertida, que prefere ficar em casa sozinha do que ir pra balada com varias pessoas, ir pra biblioteca ler um livro do que ficar fofocando no recreio. Mas a vida pratica acaba exigindo da gente ser mais sociavel. A gente precisa conviver com outras pessoas.

Entao, quando comecei a trabalhar com 17 anos, comecei com atendimento ao publico. Era o publico interno de uma instituicao financeira – funcionarios da ativa, aposentados e pensionistas. Ja vai pensar: ah, e mais facil que atender o povao, publico externo. Ledo engano.

O importante disso e que descobri a ter jogo de cintura, a lidar com clientes dificeis, a nao ter vergonha de falar com as pessoas. E descobri que eu tenho jeito pra isso. Nao sou o tipo ‘vendedor’ que vende ate iglu pra pinguim, ou do tipo ‘palhaco’ que chega a ser chato de tanta piadinha. Mas as pessoas ficam felizes e saem satisfeitas depois que as atendo.

Entao, nesse ultimo trabalho, e otimo, porque convivo com estrangeiros de todo o mundo e aprendo muito. Perdi a vergonha de falar outro idioma e tento conversar em outras linguas, mesmo cometendo erros, pprque os estrangeiros sempre sao gentis e me corrigem de maneira muito simpatica. Mas o problema: colegas.

Trabalho com varios homens. E sempre se juntam para falar mal de mulher. Sao legais, parecem esquecer que trabalham com 3 mulheres. So lembram quando vao falar palavroes. Ai a gente tem que tapar os ouvidos para que eles se sintam a vontade de falar.

E eu me dava muito bem com um deles. Achava que a gente tinha varias coisas em comum, estavamos sempre conversando. Temos a mesma idade, gostos em musica e filmes bem parecidos. E ele comecou a me falar da mulher dele.

Quando uma pessoa comeca a te contar da intimidade dela, a gente fica feliz, porque e sinal de confianca. Ele comentava e eu so escutava, nao dizia nada. Afinal, parecia que ele queria desabafar e achei que nao cabia critica ou julgamento.

Ate ai, tudo bem. So que ele comecou a se vitimizar. Que a mulher era muito chata, que ela era muito ciumenta, que nao deixava ele fazer nada, que tudo tinha que aer do jeito dela. Que ele queria voltar pra Belo Horizonte, mas a mulher e funcionaria estadual e nunca sairia daqui. Que ele tem que ver tv com ela, que ela nao gosta de ver as series que ele adora, que nao sabe se quer ter filhos com ela, que nao sabe se quer continuar com ela.

A partir disso, comecei a me irritar. Como assim um cara desses e vitima? Tudo isso que ele fala e escolha dele.

E comecei a reparar que ele sempre vinha me cutucar, mexer no meu cabelo, pegava na minha mao e beijava, passava no rosto. Sera que e coisa da minha cabeca? Ate que notei que ele nao fazia nada disso com as outras colegas.

Entao, sempre que ele vinha me abracar, eu ja ia saindo. Sempre que tentava pegar minha mao, eu ja puxava e ia saindo.

E ele sempre repetia essa ladainha pra se fazer de coitadinho. Quando ele fazia isso, comecei a dar minha opiniao.

‘Ah, queria voltar pra BH e morar perto dos meus pais. Mas por causa da fulana, nao posso. Uma merda isso, sinto falta da familia.- ‘ Eu nao entendo porque tu muda toda a tua vida por alguem e fica reclamando. Por que nao traz teus pais pra ca, entao?’

‘Tu quer ter filhos?’ –  ‘Nao sei.’ – ‘Ah, eu ate quero. Mas nao com a minha mulher. Ela e muito chata. Nao sei se quero ficar com ela pra sempre.’ – ‘E tu ja falou com ela sobre isso?’

Desde entao, ele comecou a ficar brabinho. Depois, comecou a ‘brincar’: tu so me critica.

E foi piorando, com pequenas sutilezas. Comecou a me cortar quando eu tava falando. Nao respondia mensagens. Comecou a ‘desabafar’ com outra colega. So que o ‘desabafo’ era diferente. ‘Eu e a fulana estamos querendo ter filhos no ano que vem’. ‘Eu adoro morar aqui, e melhor do que em BH.’ Sempre papos diferentes do que ee falava pra mim.

E eu comecei a dizer pra ele as coisas que ele tava fazendo e me incomodavam. Num dia, falei na frente de todo mundo: nao sei por que tu me pergunta se tu nao me deixa responder, ta sempre me cortando. – ‘Ai, que exagero teu. Ta fazendo drama.’ Parei de falar.

Comecei a mandar mensagem avisando o que ele tava fazendo e me incomodando. Mas, em momento nenhum, ele me questionou ou perguntou alguma coisa.

Um dia, eu estava ajudando uma colega num atendimento e ele chegou na sala falando, atrapalhando o que eu estava falando. Ficamos as duas mais o cliente olhando pra ele sem saber com quem ele tava falando, do que se tratava. Ele ficou nervoso e saiu da sala. Voltou, pediu desculpas somente pra minha colega. Mandei mensagem pra ele: alem de atrapalhar o meu atendimento – ja tinha pedido pra nao fazer isso e ainda pediu desculpas pra outra pessoa.

O que ele fez? Me bloqueou no mensageiro.

No outro dia de manha, eu devolvi R$2 de um almoco que ele havia pago e perguntei se ele nao iria conversar comigo sobre o ocorrido. Ele se levantou e comecou a gritar comigo, na sala, na frente dos colegas: eu nao tenho nada pra conversar com voce! Perdi minha paciencia! Vice nao olha na minha cara e nao fala comigo! Voce fica me mandando letrinha! Voce conseguiu estragar com a nossa amizade! O que voce tem pra conversar comigo!’

Como tu consegue conversar com uma pessoa alterada?! So perguntei, chocada, e isso mesmo que tu quer fazer? Tu nao vai mesmo conversar comigo? Ele se virou, fazendo mencao de sair da sala. Entao, eu sai. Aproveitei que eu tinha um livro pra devolver na biblioteca e sai. Fiquei nervosa, chateada, decepcionada. Mas o pior foi a tentativa dele me humilhar e bancar a vitima na frente doa outros colegas.

Liguei pra uma amiga e ela disse que era obvio que ele iria fazer isso. Ignora. O problema nao e teu. O problema e dele. Os problemas sao dele.

Desde entao, nos falamos apenas sobre trabalho. Nao converso mais com ele. Ele ate me comprimentou na volta de uma licenca dele. Ja vi varias vezes me olhando querendo me perguntar alguma coisa, mas desiste. Ah, orgulho de macho. Nao se permite me pedir desculpa. Nao se permite falar comigo.

Tu tenta relativizar, mas e dificil. O cara diz que votaria no Bolsonaro se for candidato a presidente. Votou todo orgulhoso no gringo que ta destruindo o estado. Pra piorar, hoje, perguntou se aquele estupro da menina ppr mais de 30 homena nao tinha video.

Pro machista tu nao pode dar tua opiniao se for diferente da dele, ele pode flertar contigo quando e como quiser. Tu tem que retribuir. Tu tem que olhar pra ele. Tu tem que ficar quieta quando tu ouve ele mentindo. Tu tem que ficar quieta quando ele quer ver um video de estupro de menor.

Ate