A melhor de How I met your mother

Comecei a ver How I met your mother meio sem querer, já devia estar no final da sétima temporada, talvez começando a oitava. Pelo menos, eu não sabia que iria terminar na nona quando ouvi um colega do trabalho comentar sobre a série.

Não dei muita importância, porque não ligava muito pro que o cara falava. Deu uma pirada e começou a pegar no meu pé, sempre me queimando com o chefe, que eu não sabia fazer meu serviço direito bla bla bla. Falando o expert que era freelancer, trabalhava mal 4 horas, porque sempre chegava atrasado e quase sempre saía cedo. E não tinha nenhuma experiência na minha área. FY!

Enfim, numa dessas vasculhadas no Youtube – é, sempre o Youtube me salva – vi um clip, aparecem mais sugestões e, quando vi, já estava quase viciada. É fácil de assistir, não tem frescura, trata de tudo que é assunto na boa, tem vários protagonistas e todos são legais a sua maneira. Com certeza baseados em tipos de pessoas que a gente conhece – o cara super metódico, o casal que está junto desde sempre, o amigo que parece que sempre se dá bem em tudo, a garota que é faz sucesso com todos os caras. E todo mundo se apaixona, todo mundo sofre, perde alguém importante. E tudo isso é tratado de uma forma leve, mesmo quando triste, mesmo quando engraçada.

A trilha sonora é perfeita. Sempre em total sincronia com os episódios. Mas quando fui escutar somente as músicas, tive uma sensação que de as músicas são muita parecidas. São bem legais, mas não consigo escutar todas em seguida. Realmente tenho a impressão de que são as mesmas… E poucas me marcaram. A top da minha lista é The Funeral – Band of Horses. Não consegui achar um vídeo com qualidade boa pra mostrar o momento que marcou, mas essa música é digna do repeat no mp3. Começa triste, aquela sensação de que perdeu mais uma vez, não deu certo e parece que, aos poucos, a gente vai relembrando como deu errado e, de repente, se dá conta de que deu certo por um tempo, que foi feliz e começa a sensação de esperança de que a vida continua, é só correr atrás, que vale a pena tentar de novo. Um dia a gente consegue. Não é isso mesmo que a gente sente? Sério, tô escutando a música sem lembrar direito do episódio de Farmhampton, mas é essa a sensação. E vagamente tenho a impressão de que é isso que acontece com o Ted durante a música.

Música é ingrediente principal da minha vida. Preciso escutar música. Nem que seja um pouquinho durante o dia ou antes de ir dormir. E afeta incrivelmente meu humor. Assim, eu tendo a não escutar músicas tristes, de fossa ou de momentos tristes de filmes que me marcaram muito. Mas eu as tenho no mp3 igual. De vez em quando, escuto só um pouquinho pra não ficar triste, pra não deixar me afetar. É, não sou tão madura assim. Então, nesse clima, tem uma música do HIMYM que acho linda, mas que me entristece é Wilco – How to fight the loneliness.

Outra que é muito bonitinha é The Shins-Simple Song. Sou suspeita, porque The Shins sempre tem uma música perfeita pra trilha sonora. Nessa a sensação é parecida com Band of Horses, mas só a parte boa. O que quero dizer, que desde o início a gente sente esperança – de que vai conseguir, que o que quer que a gente queira, a gente vai conseguir. Falta pouco. A diferença é que parece uma coisa que simplesmente é, que vai acontecer porque tem que acontecer. Não precisa ir atrás, não tem que batalhar por isso. E a letra não tem nada a ver com isso…

Tá, só mais uma: Shake it out – Florence and the machine. Esse eu tenho que postar um vídeo de qualidade precária, porque não achei outro e o momento é perfeito. Nesse caso, a música e o momento são um pouco tristes. Só que tem uma esperança escondidinha ali. Começa naquele momento em que não deu certo, que não saiu como a gente queria e não vai ser fácil se recuperar. Mas a vida taí pra ser vivida e ainda tem muita coisa pra acontecer. A gente tem a certeza de que às vezes se erra, mas muitas vezes se acerta. Não deu agora, mas vai dar. Vida que segue. Mas vida que segue pra dar certo. ” But it’s always darkest before the dawn”. But ALWAYS be a dawn. E a cena dos guarda-chuvas é perfeita.

Com certeza, vou sentir falta de ver novos episódios de HIMYM, mas tudo tem um fim. E que venham mais séries que marquem a gente, que me faça feliz, que me faça rir, que me faça chorar. Que me lembre que a vida é assim mesmo e, às vezes, a gente precisa ver um episódio de uma série incrível pra se dar conta…

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s